Dias de Amor

Sempre que passamos o fim-de-semana juntos, na segunda-feira já morro por te ver!

Por aqui, os dias da semana não são sempre iguais, não há direito a rotina.

O trabalho por turnos não permite o abraço quente todas as noites, não permite os passeios ao ar livre nos mesmos dias da semana, ou do mês. Não há datas assinaladas no calendário, não há jantares românticos marcados com antecedência. Não há constância.

Todavia, o tempo livre também tem outro sabor, e os momentos a dois são aproveitados a passo de caracol, como se não acabassem nunca. E o que gosto quando percebo que naquele dia vamos estar juntos, que naquele dia podemos namorar, fazer desporto, passear o cão, fazer compras, tratar da casa da nossa vida, fazer o que os casais “das 9 às 17” fazem.

Hoje é segunda-feira e neste fim-de-semana tive o prazer da tua companhia.

Hoje é segunda e já morro por te ver. Dava tudo por um abraço teu. Porque as saudades não têm de ser definidas pelo tempo ou pela distância.

Basta o que baste, porque somos um só.

Amo-te.

Anúncios

Agarrem-me!

Agarrem-me!

Eu continuo com a opinião cravada de que os homens deveriam ser submetidos a provas antes do casamento. Evitavam situações como aquelas que acontecem… todos os dias!

É tão difícil estar casada com um homem sem ter vontade de levar as mãos à cabeça.

Hoje pedi ao MQT que me imprimisse um documento S-U-P-E-R importante. Mas enviei espaçadamente umas cinco mensagens para que a sua mente memorizasse. Guess what? Esqueceu-se e lá vamos nós a caminho do shopping, o “Salvador dos Lares”.